Fonte: Reprodução Internet

ÁLCOOL NÃO TRAZ SEGURANÇA A SAÚDE

Uncategorized
Um grande estudo genético afirma que, de um a dois drinks por dia pode elevar a pressão sanguínea e causar derrames cerebrais.

A pesquisa foi feita pelo Reino Unido e China com 500 mil chineses durante 10 anos e descobriu algo relevante sobre os efeitos do álcool no organismo dos seres humanos.Os pesquisadores disseram que as pessoas devem limitar o consumo de álcool e contradizendo estudos anteriores, até em poucas quantidades o álcool não traz segurança a saúde.

Os professores, da Universidade de Oxford, da Universidade de Pequim e da Academia Chinesa de Ciências Médicas, descobriram que: Beber de uma a duas bebidas alcoólicas por dia aumenta o risco de derrame de 10-15% e beber quatro doses todos os dias aumenta o risco de ter um derrame em 35%.

Fonte: LJUPCO SMOKOVSKI/SHUTTERSTOCK
Fonte: LJUPCO SMOKOVSKI/SHUTTERSTOCK

O Estudo foi publicado na The Lancet, revista científica sobre medicina publicada semanalmente e uma das mais antigas e renomada no mundo sendo descrita como uma das mais prestigiadas.

Tendo como análise de estudo, uma dose de bebida, foi definida como: um pequeno copo de vinho, uma garrafa de cerveja e uma única dose de bebidas. Entre 16 a cada 100 homens e de 20 em 100 mulheres, estudados, terão um possível derrame em toda a sua vida, no Reino Unido.

Segundo o professor David Spiegelhalter, da Universidade de Cambridge, isso representa um aumento no risco total de AVC em 38% para cada meia garrafa de vinho consumido por dia.

“É mais ou menos o efeito oposto de tomar uma estatina”, que são medicamentos prescritos pelos médicos para ajudar a baixar os níveis de colesterol no sangue e prevenir ataques cardíacos e derrames.

De acordo com os professores a pesquisa não confirmou se o consumo leve poderia evitar ou reduzir acidentes vasculares cerebral.
“Alegações de que vinho e cerveja têm efeitos mágicos de proteção não são confirmadas”, disse Richard Peto, professor de estatística médica e epidemiologia da Universidade de Oxford, Inglaterra.

Fonte: Divulgação Internet
Fonte: Divulgação Internet

A China foi escolhida para o estudo devido a muitas pessoas com ascendência chinesa terem uma combinação de genes que os impedem de beber álcool, assim como leite. Causando uma reação desagradável, e mal estar.

Por esta razão, há uma grande variação no consumo de álcool na China – um em cada três homens não bebe e poucas mulheres o fazem. Já as populações dos países ocidentais não possuem esses genes, então seria impossível realizar um estudo similar nesses países.

Tendo em vista que a maioria dos estudos são observacionais, o que torna difícil julgar qual fator está causando o efeito. Iona Millwood, autora do estudo, epidemiologista sênior da Universidade de Oxford, disse: “Nossas análises genéticas nos ajudaram a entender as relações de causa e efeito”.

Os pesquisadores dizem que sua principal mensagem é que agora há evidências claras de que não há efeito protetor do consumo moderado de álcool ao derrame. Isso significa que beber pequenas quantidades de álcool por dia pode aumentar as chances de um derrame.

Contradizendo a orientação atual do Reino Unido – que recomenda um limite de 14 doses por semana, com vários dias livres de álcool para manter baixos os riscos à saúde.

Mas como qualquer pesquisa, muitos outros especialistas ainda estão na dúvida sobre o real efeito do álcool.
O professor David Spiegelhalter, de Winton, disse que o estudo o coloca em dúvida.

“Eu sempre estive razoavelmente convencido de que o consumo moderado de álcool era protetor para doenças cardiovasculares, mas agora estou tendo minhas dúvidas”.