Paralisia

SURPREENDENTE: CRIANÇA COM PARALISIA CEREBRAL ANDA SOZINHA

INTERNATIONAL NEWS, LOOPAKIDS

Como é maravilhoso superar expectativas! A pequena Maya emocionou a todos com a felicidade dos seus primeiros passos.

“Estou andando!” – é assim que ela comemora animadamente no vídeo feito por sua mãe.

Paralisia
A felicidade de Maya ao dar os primeiros passos sozinha.

Maya tem 4 anos e após seu primeiro ano de vida foi diagnosticada com paralisia cerebral.

Ela fez um cirurgia chamada Rizotomia Dorsal Seletiva e os médicos não esperavam que ela pudesse andar tão cedo.

A cirurgia corta as raízes nervosas que enviam sinais anormais ao músculo, e isso melhora a elasticidade muscular do paciente.




Os médicos consideravam que ela pudesse andar entre seis meses a um ano, mas apenas sete semanas após a cirurgia, Maya já estava dando seus primeiros passinhos.

Paralisia
A cirurgia corta as raízes nervosas que enviam sinais anormais ao músculo.

Ann Tisdale, mãe da pequena, disse que Maya sempre foi muito determinada. Em entrevista ao Global News, ela disse: “Maya quer correr e brincar com seus amigos e não quer ficar para trás”. E completou: “Mas ela nunca se queixa disso”.

Para manter seus músculos fortes, Maya precisa fazer fisioterapia cinco vezes na semana. Além disso, faz pequenas sessões de fisioterapia em casa, duas vezes por dia.

Ann explicou que a cirurgia “deixa as crianças fracas e que é preciso construir seus músculos, como um atleta”.



Há alguns anos, a mãe de Maya fez uma extensa pesquisa quando descobriu a respeito da cirurgia. Ela e o marido ficaram muito preocupados com os riscos, mas entenderam que seria a única chance que a filha teria de levar uma vida mais independente.

“Para nós, como pais, foi realmente assustador”, disse ela.

Ao final, a cirurgia também teve outro grande benefício: Maya não sente mais as dores causadas pelas contrações musculares involuntárias.

“Ela costumava acordar no meio da noite com dor”, relembra Ann. Agora, a pequena dorme a noite toda, confortavelmente.




Para ela, mesmo que Maya não andasse sozinha, a cirurgia teria sido um grande sucesso devido a qualidade de vida que proporcionou à sua filha.

Veja agora o vídeo e se emocione com essa pequena guerreira:

Um outro caso, envolvendo uma menina de dez anos também vítima de paralisia cerebral, chamou atenção em maio desse ano. Shaema Alomari conseguiu retornar aos Estados Unidos para receber a medicação que necessita, após o banimento de imigrantes mulçumanos, imposto por Donald Trump.