TERERAI TRENT DO ZIMBÁBUE É NOMEADA UMA DAS MULHERES MAIS INSPIRADORAS DO MUNDO

World
No dia 26 de agosto de 2019, Nova York vai fazer honrarias a dez mulheres incríveis. Todas elas terão uma escultura de bronze em tamanho real. Tererai Trent, uma africana do Zimbábue, tem sua trajetória ainda mais apreciada.

As estátuas serão reveladas no Dia da Igualdade da Mulher, serão homenageadas com a Statues for Equality.

Tererai: Estou incrivelmente honrada por estar entre as 10 mulheres mais inspiradoras do mundo 'esculpidas pela igualdade de direitos'! (Foto Reprodução/Internet)
Tererai: Estou incrivelmente honrada por estar entre as 10 mulheres mais inspiradoras do mundo ‘esculpidas pela igualdade de direitos’! (Foto Reprodução/Internet)

Uma autora e estudiosa do Zimbábue será homenageada: Tererai Trent está entre as 10 mulheres que foram nomeadas como as mulheres mais inspiradoras do mundo.

A lista também inclui outras mulheres que lutam e defendem a igualdade de gêneros. Entre elas a magnata da mídia Oprah Winfrey, as estrelas Nicole Kidman, Cate Blanchett, e a popstar Pink. A conservadora Jane Goodall, a ativista Janet Mock, a química Tracy Dyson, a autora Cheryl Strayed e a ginasta olímpica Gabby Douglas. Informou a cnn de Londres.

Trent anunciou a honraria em seu Twitter disse como se sente: “incrivelmente honrada” com o reconhecimento.

Estátua de Tererai Trent em Nova York (Foto: Terrei Twitter)
Estátua de Tererai Trent em Nova York (Foto: Terrei Twitter)





“Estátuas da igualdade está marcada para ser lançada em #NYC neste verão. Estou incrivelmente honrada por estar entre as 10 mulheres mais inspiradoras do mundo ‘esculpidas pela igualdade de direitos’! Venha em 26 de agosto e celebre o empoderamento das mulheres e grandes sonhos!, “ela twittou.

Mantida fora da escola a maior parte da infância por causa da pobreza, e por SER MULHER

A Dra. e estudiosa, é do Zimbábue e tem uma historia pessoal de muita luta. Ela tem 54, foi mantida fora da escola durante a maior parte de sua infância por causa da pobreza, e por ser uma mulher.

Tererai na Africa. (Foto: Tererai Trent International Foundation

Mas Tererai aprendeu sozinha a ler e escrever enquanto morava com seus pais na zona rual, no Zimbábue. Eram nos livros de seu irmão que Tererai se educava.

Eventualmente, começou a fazer o dever de casa de seu irmão, quem implorou ao pai a deixar Tererai ir para a escola.




Ela então frquantou a escola por pouco tempo, até que seu acertou um casamento dela, pelo pagamento de uma vaca.

Tererai teve três filhos até os 18 anos,

Depois de ter sido descoberta, por uma ONG americana, que visitou sua aldeia, ela se mudou para os EUA em 1998.

Desde então realizou seus sonhos de obter um mestrado e um doutorado na Universidade Berkley, California.

Tererai, hoje uma acadêmica norte-americana, enfrentou abusos e foi vítima de violência doméstica por buscar realizar seus sonhos, e continua a defender o empoderamento de meninas e mulheres por meio da educação.

Ela tem lembracas de como as mulheres, na vila, eram excluidas pelos homens incluindo seu pai:

“Apontando para os meninos na aldeia e dizendo:’Estes são os ganhadores de pão de amanhã. Precisamos educá-los. Precisamos enviá-los para a escola. As meninas vão se casar.'”

Descubridora de histórias inspiradoras, Tererai chamou a atenção de Oprah Winfrey.

Terera aos lado de Oprah Winfreyi: Estou incrivelmente honrada por estar entre as 10 mulheres mais inspiradoras do mundo 'esculpidas pela igualdade de direitos'! (Foto Reprodução/Internet)
Terera aos lado de Oprah Winfreyi: Estou incrivelmente honrada por estar entre as 10 mulheres mais inspiradoras do mundo ‘esculpidas pela igualdade de direitos’! (Foto Reprodução/Internet)

Oprah fez doações de $1,5 milhão de dólares a Tererai para reconstruir a escola primária onde ela estudou, no Zimbábue, em parceria com a Save the Children em 2011.

Os famosos artistas australianos Gillie e Marc Schattner tiveram a iniciativa do “Sculpted for Equal Rights”, para saudar mulheres inspiradoras, e que lutam pela igualdade.

“Os meninos da aldeia: estes são os ganhadores de pão de amanhã. Precisamos educá-los. As meninas vão se casar.”

Os dois artistas buscam mais representação de gênero nas artes públicas. “A fim de honrar verdadeiramente a causa, foi crucial que nós colocássemos as estátuas em bronze, elas viverão, como a própria estátua, além de sua vida e da vida de seus contemporâneos”, disse Schattner em um comunicado em seu site.